producao@jaunatural.com

shows@jaunatural.com


71 999002504 show
 (71) 99112-9467 
(71) 3341 -2166 (contato para Show) (71) 3372- 3725 ( assessoria de imprensa ) A4

FALE COM JAU
SIGA JAU
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon

© 2017 criado por ARJONES ART www.arjones.art.br

Rosa Branca - Jau
00:00 / 00:00
 
 
CONHEÇA JAU

Era o final dos anos 1980 e o Carnaval da Bahia se mostrava para o mundo. Cultural, mágico e transbordando uma riqueza única, vinda especialmente dos blocos afro Ilê, Muzenza e Olodum, desfilavam a história de um povo e deslizavam pela avenida uma sonoridade espantosa, aberta a novos e modernos experimentos. Foi nesse universo que surgiu, nos festivais de música do Olodum, um afrodescendente de nome indígena, Jauperi.

Aos 17 anos, Jau passou a integrar o Olodum como autor e intérprete. Com o grupo viajou pelo mundo e participou de importantes festivais de música como Montreux, WOMAD e Musiques Métisses, e tocou com nomes da música mundial como, Tracy Chapman e Joan Baez. Com Paul Simon fez show no Central Park, em Nova York. Do Olodum para o mundo e para a música. “Foi no Olodum que me entendi como ser humano, que ganhei autoestima e aprendi a lidar com multidão”, revela Jau.

Autor de grandes sucessos do grupo nascido no Pelourinho como “Canto ao Pescador” e “Jeito Faceiro”, teve suas composições gravadas por inúmeros artistas. “Estrela Primeira”, na voz de Netinho; “A Camisa e o Botão”, com Cláudia Leitte; “Topo do Mundo”, gravada por Daniela Mercury; “Fanfarra”, pelo Araketu, entre tantos outros. Cada canção de sucesso marcou a trajetória de um artista essencialmente inspirado pelo amor. Inquieto e constantemente em busca de transformações, criou em 2005, ao lado de Pierre Onassis, ex-parceiro do Olodum, a banda Afrodisíaco. Inovou, inserindo a música sinfônica, através do violino e do sopro, à batida percussiva afro-baiana. Em um ano emplacou dois grandes sucessos, “Já é” e “Café Com Pão”, que ficou conhecida como Vixe Mainha e acabou dando o novo nome da banda, no carnaval de 2006.

Em 2008, ao lado de Caetano Veloso gravou a música tema do filme Ó Pai Ó. Logo depois, em trabalho solo, registrou em um cd a sua produção criativa do momento pós Afrodisiaco e o sucesso deste registro fonográfico tomou conta da Bahia. As músicas de Jau eram ouvidas e cantadas nos quatro cantos do estado, em todos os meios, em todas as classes socias. A sua elegância criativa, através da sua originalidade melódica e poética invadiu a alma baiana, devolvendo a alto estima aos apreciadores da boa e original música popular da Bahia. Era como se algo vindo da mesma matriz cancioneira de criadores como Dorival Caymmi, estava-se novamente se ouvindo. Os shows de Jau, lotados, tornaram-se momentos de encontro entre esta multidão admiradora aquele artista que estava propondo este novo “elixir” histórico da música da Bahia. Longe de ser música axé, era a música cheia de gente. De verdade. A sua música “Flores da Favela” virou hit fundamental e o trabalho solo de Jau ultrapassou as fronteiras do estado.

Novos sucessos surgiram. “Amar é bom”, “Se Joga” … e em 2011 o artista lançou o cd “Aplausos para o Sol”, produzido por Alê Siqueira (Tribalistas, Ana Carolina), reunindo essas suas novas crias para o alimento dos que admiram o seu trabalho e as suas ideias musicais.

Depois, como numa catarse criativa, vieram “Amanda”, “Festa de Tambor”, “Anjo Torto”, “Viral” … O que o fez lançar o album “Um Pouquinho de Festa … é Bom!”, em 2013, produzido por Mikael Mutti, parceiro de Carlinhos Brown na música Real in Rio, indicada ao Oscar 2012 pela trilha da animação Rio, e co-produzido por Tenison Del Rey; “É a continuação de um caminho. Estou sempre procurando o novo, reciclando e aprendendo. Saindo da zona de conforto, em busca de novas conexões com o mundo”, afirma Jau.

Em 2015, lançou o cd “Jau - Lázaro”, produzido pela cantora Vânia Abreu e pelo maestro R. Petreca. Este trabalho resultou na premiação do “Trofeu Cata-Vento” de artista revelação masculina. Premiação respeitadíssima no ambiente musical brasileiro, dirigida pelo produtor musical Solano Ribeiro, um dos idealizadores dos grandes festivais de música da década de 60 e também deu à Jau, através do conceituadíssimo site de cultura latina, zachary-jones.com, a indicação internacional de um dos melhores discos de 2015, com destaque para a faixa “Planetário Descendente” (Jau/Tenison Del Rey).

2017 foi o ano de lançamento do seu álbum “Jau Natural” e deste registro saiu o hit “Com Carinho” (Jau/Tenison Del Rey), mais uma música candidata a virar clássico na voz do artista, e o clipe Ïnhá” (Jau). 2018 seguiu com a tour com mesmo nome pelo Brasil e agora em 2019 Jau acabou de lançar “Alegria Odara” (Jau/Tenison Del Rey/Paulo Vascon), uma homenagem carinhosa, cheia de poesia, à Bahia e à sua gente.

Sempre solicitado para levar o melhor da música afro-pop-baiana mais original, Jau segue com seus shows sempre lotados pelos apaixonados pela sua arte.

NOVEMBRO
20 - luau bom d+ tv record
24 - AQUARELA DE JAU - SALVADOR/BA
29 - CORPORATIVO - FEIRA DE SANTANA/BA
DEZEMBRO
07 - itabuna/ba
08 - saulo e jau - salvador 
12 - PART. SHOW VANIA ABREU
14 - adega de jau - corporativo salvador/ba
14 - corporativo salvador /ba
15 - AQUARELA DE JAU - salvador/ba
19 - Jau e ivete - salvador/ba 
19 - Natal encantado - feira de santana /ba
27 - arraial d'ajuda /ba
28 - pré réveillon prainha - Lauro de freitas
29 - batuba - ilhéus
30 - mar grande / ba
31 - IBEROSTAR - PRAIA DO FORTE/BA
janeiro
04 - música no parque - salvador /ba
12 - aquarela de jau - SALVADOR/ba
16 - Bonfim - salvador /ba
18 - sim! sol, ilha e música
18 - armazém - lauro de freitas
25 - praia do forte
25 - madre verão - madre de deus
26 - aquarela de jau - salvador /ba
31 - armazém - lauro de freitas